Tudo que acontece na AMP
é destaque no nosso canal de novidades

21/02/2020

“Fissura, a marca de uma história” é tema de exposição fotográfica na AMP

Compartilhar sorrisos. Esse é o principal objetivo da exposição fotográfica “Fissura, a marca de uma história”, que pode ser visitada até o dia 13 de março, na Associação Médica do Paraná, no bairro Água Verde, em Curitiba. A mostra, que tem o apoio da AMP, é resultado de uma parceria da Associação de Reabilitação e Promoção Social ao Fissurado Labiopalatal (Afissur) com a Universidade Tuiuti do Paraná, envolvendo a equipe da entidade do terceiro setor e docentes e discentes dos cursos de graduação em Fonoaudiologia e Distúrbios da Comunicação (mestrado e doutorado).

Os ensaios fotográficos foram realizados no estúdio da UTP e podem ser vistos de segunda a sexta-feira, das 9h às 21h. Segundo a Afissur, possibilitar a promoção humana é sua missão e a ela juntam-se entidades que têm visão e propostas semelhantes.

As fissuras labiopalatais são malformações congênitas caracterizadas por aberturas ou descontinuidade das estruturas do lábio e/ou palato e afetam os aspectos estético, funcional e emocional do paciente. Nesse contexto, a associação busca proporcionar empoderamento, com iniciativas individuais e em grupo, para fortalecer o papel social das pessoas com fissura, preservando sua singularidade, autonomia e cidadania. O compromisso principal é proporcionar, com ações e serviços, o desenvolvimento integral delas e de seus familiares.

Conforme o Ministério da Saúde, a incidência no Brasil é de um caso a cada 650 nascimentos.

“Acredito que a exposição de novos desafios relacionados à minha saúde me fortaleceu para buscar sempre o melhor para minha vida. Várias vezes ouvi que minha mãe imaginava que eu nunca iria falar. Isso me parece loucura. No entanto, pensamentos como esse podem surgir em pais que se preocupam com a qualidade de vida de seus filhos. Desse modo, é evidente que o apoio dos pais, profissionais e a confiança da pessoa fissurada em suas próprias capacidades fazem com que o caminho do tratamento seja mais ameno”, diz Thaís Millena, de 19 anos, cujo retrato é um dos que integram a mostra.

Ela acrescenta que, através desses fatos, é importante que todos aqueles que possuem a experiência de vida ou conhecimento sobre a fissura labiopalatal divulguem cada vez mais.  “Esse foi um dos grandes motivos que me moveram a participar do projeto fotográfico. Saber que a minha história pode acalentar a vida de diversas famílias é algo fascinante, pois acredito vigorosamente que o conhecimento nos fortalece como indivíduos tolerantes à diferença”, conclui.


 
Serviço

Exposição fotográfica “Fissura, a marca de uma história”
 
Data: Até 13 de março de 2019.
Hora: Aberta de segunda a sexta, das 9h às 21h.
Local: Associação Médica do paraná – Rua Cândido Xavier, 575, Água Verde - Curitiba
 
 
 
 
 
 
 
 

Aproveite e
veja também