Associação Médica do Sudoeste Novo inicia implantação do Sinam
Mais um município paranaense deve ganhar neste ano o Sistema Nacional de Atendimento Médico, cumprindo a expectativa de expansão. Na última semana, o presidente da Associação Médica do Sudoeste Novo, de Francisco Beltrão, Dr. Gustavo Vicenzi, esteve em Curitiba por dois dias para conhecer a estrutura do Sinam. Foi recebido pelo presidente da Associação Médica do Paraná, Dr. Nerlan Carvalho, e o assessor de marketing da entidade, Reinaldo Martinazzo, que prestaram todas as informações, entre elas o funcionamento do Web Center Sinam, que dá suporte ao gerenciamento das consultas realizadas pelo médico.

Segundo Vicenzi, o próximo passo será a realização de um evento para convidar os associados a participarem do sistema. Desde que assumiu, em outubro de 2017, o número de profissionais sócios teve um aumento de 50%. “Acreditamos que haverá uma boa aceitação”, avalia, acrescentando que, no primeiro semestre, o objetivo é também consolidar as parcerias com hospitais, clínicas e farmácias. A expectativa, após essas etapas, é que a implantação ocorra no segundo semestre.

No entendimento do dirigente, que também pretende visitar Toledo, o Sinam representa um braço financeiro relevante para a entidade e a experiência de ter vindo à sede da AMP, na capital, foi bastante produtiva. “Fui muito bem recebido pela diretoria, que não mediu esforços para repassar todos os dados necessários”, afirma. Ele ressalta a importância de conhecer como funciona o sistema. “A estrutura é enxuta, o que proporciona economia. E quem se beneficia é o associado. Por isso, minha sugestão é que outras regionais façam o mesmo e programem-se para conhecer  o Sinam”, conclui.

A opinião é compartilhada pelo presidente, Dr. Nerlan Carvalho, que reforça o convite às demais diretorias das afiliadas. “A AMP está de portas abertas para recebê-las”, diz, lembrando dos benefícios do Sinam, oferecido pelas Associações Médicas do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul para quem não quer depender do SUS e não pode pagar por um plano de saúde.

Sem carência para utilização, limites em relação à idade, número de dependentes ou doenças pré-existentes, é um modelo de assistência em que o usuário titular paga uma única taxa de administração anual e tem direito, assim como seus dependentes, a consulta particular em valor fixo, com o especialista que escolher e hora marcada. Para os médicos, também representa uma remuneração justa de seu trabalho, sem interferência na relação médico-paciente, com recebimento à vista. Os profissionais são todos referenciados pelas entidades médicas.

O valor da consulta é definido pelas regionais, em consenso com seus associados, levando em conta a realidade de cada município e região, mas tendo por base um estudo realizado pela Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas), atualizado ano após ano.

Atualmente, o Sinam possui unidades de atendimento em Curitiba, Araucária, Ponta Grossa, Cascavel, Foz do Iguaçu, Marechal Cândido Rondon, Toledo, Umuarama e Londrina. Maringá está em processo de implantação.
Aproveite e
veja também