Congresso reúne em Curitiba grandes nomes da Cardiologia mundial
A Associação Médica do Paraná participou, nesta quinta-feira (8), da abertura do International Cardiology Meeting Curitiba 2019, no Teatro Positivo. O evento, que prossegue até este sábado (10), no Expo Unimed, engloba o 46º Congresso Paranaense de Cardiologia e simpósios internacionais, reunindo na capital paranaense os principais nomes do cenário mundial da Cardiologia, vindos de 21 países, como Estados Unidos, Canadá, Inglaterra, Áustria, Itália, Nova Zelândia, Austrália, Japão, Egito, Índia e México, com o objetivo de discutir estratégias para a redução de mortes cardiovasculares prematuras.

Estavam presentes na solenidade o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta; o prefeito de Curitiba, Rafael Greca de Macedo; a secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak, além do presidente da Sociedade Paranaense de Cardiologia, promotora do congresso, Dr. João Vítola;  o presidente eleito da Sociedade Brasileira de Cardiologia, Dr. Marcelo Antônio Queiroga Lopes, entre outros integrantes das entidades e autoridades.  A AMP foi representada pelos Drs. Nerlan Carvalho, presidente; José Fernando Macedo, tesoureiro; Jurandir Marcondes Ribas Filho, delegado junto à Associação Médica Brasileira, e Eugênio Mussak, coordenador da plataforma EduMedica, o braço online da Ucamp, sua Universidade Corporativa.

Convidado para palestrar sobre os “Desafios e oportunidades do Ministério da Saúde para redução da mortalidade cardiovascular e aumento da expectativa de vida no Brasil”, Luiz Henrique Mandetta traçou um histórico das ações já realizadas em sua gestão, salientando a necessidade de reestruturação da saúde por meio da atenção primária. “Temos que reorganizar o sistema a partir  da atenção básica, o que é extremamente complexo”, afirmou o ministro, acrescentando que o Programa Médicos pelo Brasil é o início dessa reestruturação. Lançado no dia 1º de agosto, em substituição ao Mais Médicos, o novo programa vai ampliar em mais de 7,3 mil o número de médicos nas áreas mais carentes do país, prevendo, ainda, a formação de especialistas em medicina da família e comunidade. Ao todo, serão 18 mil vagas.

“Tentou se fazer no Brasil a atenção primária pela quantidade. Nós buscamos a qualidade e o mérito, redefinindo as bases de um sistema que precisa ser equânime. Esse é o caminho, ao mesmo tempo em que devemos investir em pesquisa, em genética”, disse, o que trará benefícios para as diversas especialidades. O ministro informou aos presentes que o SUS é o segundo maior sistema em transplantes cardíacos no mundo. “Queremos aprender e, com humildade, também mostrar o que o nosso sistema tem”, concluiu.

Na capital

Em Curitiba, segundo o prefeito Rafael Greca, foi possível reduzir em 7,1% as mortes prematuras por doenças cardíacas com o programa Escute seu Coração, realizado em parceria com a Sociedade Paranaense de Cardiologia. Destacando também os números da saúde na capital (12,5 mil consultas e 450 mil exames por mês), ele sugeriu uma parceria entre o sistema curitibano e o brasileiro. “Curitiba tem indicadores como os países mais saudáveis do mundo, como Áustria e Suíça. Queremos oferecer essa experiência ao Brasil todo”, pontuou.

Homenagem

O cirurgião Tirone Esperidião David, nascido no município paranaense de Ribeirão Claro e formado em 1968 pela Universidade Federal do Paraná, foi homenageado na solenidade. Radicado há várias décadas no Canadá, é reconhecido internacionalmente pelo desenvolvimento de inovadores procedimentos cirúrgicos. Já recebeu inúmeros prêmios, tendo sido eleito membro da Ordem de Ontário e da Ordem do Canadá, e escolhido, em 2004, como University Professor, o maior grau concedido pela Universidade de Toronto aos seus docentes. Foi chefe da cirurgia cardiovascular do Toronto Western Hospital de 1980 a 1989 e do Toronto General Hospital, de 1989 a 2011.

Após a cerimônia, abrilhantada pela Camerata Antiqua de Curitiba, foi proferida a palestra “Reduzindo a mortalidade cardiovascular – qual é a evidência de que o tratamento guiado por tecnologias avançadas de imagem pode ajudar”, por Leslee Shaw, dos Estados Unidos.

Confira no link abaixo a programação completa do International Cardiology Meeting Curitiba 2019.

https://www.icm2019.com.br/chooselang.asp

Aproveite e
veja também