Paraná recebe 456 profissionais do programa Mais Médicos
A Secretaria da Saúde do Paraná recebeu oficialmente, nesta quarta-feira (10), 456  médicos convocados pelos últimos editais do Programa Mais Médicos, do Ministério da Saúde. O evento de “boas-vindas” foi no auditório do Teatro Guairinha, em Curitiba, e contou com a presença do presidente da Associação Médica do Paraná, Dr. Nerlan Carvalho.
 
A maior parte das vagas abertas no estado (381) foi ocupada em dezembro do ano passado, e outras 75 preenchidas por meio de edital de renovação publicado no mês passado, totalizando os 456 profissionais que participaram do evento e que irão atender em média 100 mil consultas por mês, reforçando a atenção primária nas unidades básicas de saúde de 310 municípios que aderiram ao programa.

“A outra boa notícia é que o governo do estado, sob orientação do governador Carlos Massa Ratinho Junior, pretende ampliar este programa e busca mais vagas junto a novos editais federais”, disse o secretário da Saúde do Paraná, Beto Preto.

Além da AMP, o evento  também teve a participação de representantes do Ministério da Saúde, da Educação, do Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Paraná, da Universidade Federal do Paraná, prefeitos, gestores e profissionais da área.

“Com o apoio dos secretários municipais de saúde, estamos melhorando a assistência,  reforçando as ações e atividades junto à população que mais precisa,  fazendo com que o atendimento qualificado chegue a cidades de todo estado, tanto nas regiões metropolitanas, como no litoral, nas comunidades mais distantes da zona rural e das reservas indígenas”, complementou Beto Preto.

“A nossa expectativa é que muitos problemas de saúde sejam solucionados de acordo com um modelo continuado de assistência: mais rápido, eficaz e no lugar onde as pessoas vivem.”, explicou a diretora de Atenção e Vigilância em Saúde da Sesa, Maria Goretti David Lopes.

Evento

O representante do Ministério da Saúde, Cleverson Patrocínio, que é apoiador regional do programa Mais Médicos, disse que “o Paraná está entre os estados com mais vagas preenchidas e que isso se traduz no fortalecimento da atenção primária”.

Segundo a apoiadora institucional do Ministério da Educação, Marisa Silva, o evento desta quarta, além acolher os profissionais, também teve o objetivo de apresentar os protocolos, competências e responsabilidades de todas as esferas e instituições envolvidas. “O Ministério da Educação faz todo acompanhamento acadêmico junto à instituição supervisora, que aqui é a Universidade Federal do Paraná”.
“A UFPR atua em todo o estado no programa mais Médicos, com oito tutores e 84 supervisores que acompanham o trabalho dos profissionais, dando suporte aos atendimentos. Esta equipe está disponível para informações aos médicos e também aos gestores municipais”, disse o representante da Universidade Federal do Paraná, Francisco Mouzinho.

O Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Paraná avalia que o programa, da forma como é desenvolvido hoje, representa mais saúde para a população, indiferente de ser capital ou interior. “Se queremos uma atenção primária forte, precisamos nos unir diante de ações como esta, que fixa o médico nas cidades”, destacou a representante do Consems, Ângela Pompeu, que é secretária municipal de Saúde de Ponta Grossa.

A coordenação do programa Mais Médicos é realizada por Comissão Estadual que reúne representantes do Ministério da Saúde, Secretaria da Saúde do Paraná, Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Paraná e instituição supervisora do Ministério da Educação.

O presidente da AMP também destacou o apoio da  entidade ao programa no formato atual. “Somos a favor da responsabilidade e do respeito, e peço a cada médico que se apresenta aqui hoje que desempenhe seu papel com o máximo de profissionalismo para conquistarmos o máximo de qualidade”, disse.

Boas-vindas

Ao dar as boas-vindas aos 456 médicos, o secretário Beto Preto, que é médico e ex-prefeito do município de Apucarana, pediu, em nome do governo do estado, que os profissionais abracem a causa da saúde. “Esta área sempre tem demandas reprimidas, mas nosso compromisso é o de construirmos aqui um Sistema Único de Saúde modelo para o país”.
 



Com informações da Sesa
Fotos: Américo Antonio (Sesa)
Aproveite e
veja também