Tudo que acontece na AMP
é destaque no nosso canal de novidades

03/12/2021

Dezembro Laranja é mês de conscientização do câncer de pele

Dezembro é sinônimo de início do verão, sol, dias mais quentes, e também é o mês de chamar a atenção da população para o câncer de pele, com a campanha Dezembro Laranja. O objetivo da ação é conscientizar sobre a doença, uma das mais incidentes no Brasil.

A Secretaria da Saúde acompanha os casos no Paraná, e faz o alerta para o aumento de procedimentos cirúrgicos em oncologia para câncer de pele, que passaram de 3.146 em 2020, para 3.414 este ano. Nos atendimentos ambulatoriais, o aumento foi maior, cerca de 27,4%, passando de 635 para 809 em 2021. Os dados são do Sistema de Informação Ambulatorial (SIA) e do Sistema de Informação Hospitalar (SIH), do Sistema Único de Saúde.

“O alerta à população é fundamental. Ambos os tipos de câncer têm altas taxas de cura se descobertos logo no início. Por isso, a importância em manter hábitos que ajudarão na prevenção da doença. Em 2020, devido à pandemia, muitas pessoas deixaram de procurar os serviços de saúde. Este ano, começaram a retomar para exames e consultas que deixaram de fazer”, alertou o secretário de Saúde, Beto Preto.

A doença é provocada pelo crescimento anormal e descontrolado das células que compõem a pele. O câncer de pele pode ser dividido em dois tipos: melanoma e não melanoma. O primeiro é mais raro e pode levar ao óbito, já o segundo, não melanoma, também é um tumor maligno e o mais frequente entre homens e mulheres. Apesar da baixa taxa de mortalidade, pode deixar o paciente com marcas ou deformações no corpo.

Sintomas

Manchas na pele, pintas ou sinais que coçam, ardem, descamam ou sangram e feridas que não cicatrizam em até quatro semanas.

Diagnóstico

Ao observar algumas dessas alterações, é muito importante procurar o serviço de saúde, onde será realizado exame clínico e investigação diagnóstica. Ficar atento ao próprio corpo e acompanhar o aparecimento ou crescimento de pintas e sinais na pele podem ajudar no diagnóstico precoce.

De acordo com a Chefe da Divisão de Atenção às Neoplasias da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), Rejane Cristina Teixeira Tabuti, é muito importante que as pessoas se observem, acompanhem e notem se houver mudanças na pele. O último mês do ano marca a campanha do Dezembro Laranja, que nos lembra de olhar com cuidado para o maior órgão do corpo: a pele.

Cuidados

Dois dos principais cuidados são evitar a exposição excessiva à radiação solar, principalmente entre 10h e 16h, e utilizar o filtro solar. Mas, existem outras atitudes que podem ajudar na diminuição dos números de casos, tais como:

– Usar chapéus, camisetas, óculos escuros e protetores solares.
– Cobrir as áreas expostas com roupas apropriadas, como uma camisa de manga comprida, calças e um chapéu de abas largas.
– Evitar a exposição solar e permanecer na sombra entre 10 e 16 horas.
– Na praia ou na piscina, usar barracas feitas de algodão ou lona, que absorvem 50% da radiação ultravioleta. As barracas de nylon formam uma barreira pouco confiável: 95% dos raios UV ultrapassam o material.
– Usar filtros solares diariamente, e não somente em horários de lazer ou de diversão.
- Utilizar um produto que proteja contra radiação UVA e UVB e tenha um fator de proteção solar (FPS) 30, no mínimo. Reaplicar o produto a cada duas horas ou menos, nas atividades de lazer ao ar livre. Ao utilizar o produto no dia a dia, aplicar uma boa quantidade pela manhã e reaplicar antes de sair para o almoço.
– Observar regularmente a própria pele, à procura de pintas ou manchas suspeitas.
– Manter bebês e crianças protegidos do sol. Filtros solares podem ser usados a partir dos seis meses.

Os trabalhadores que estão expostos à luz solar direta devem redobrar os cuidados com a pele.

Em caso de dúvidas e/ou alterações, procurar o serviço de saúde.
 
 
 
 
Fonte: Sesa
 

Aproveite e
veja também