Conheça um pouco mais sobre os presidentes
que fizeram parte da história da Amp.

Período

  • 1930
  • 1933 - 1934
  • 1940
  • 1950
  • 1950 - 1951
  • 1960
  • 1970
  • 1980
  • 1990
  • 2000
  • 2010
  • 2020
Milton de Macedo Munhoz

Milton de Macedo Munhoz

Milton de Macedo Munhoz foi o primeiro presidente da Associação Médica do Paraná, criada em 1933, a partir da fusão da Sociedade Paranaense de Medicina, Sociedade Médica dos Hospitais e Sindicato Médico. Em 1950, reelegeu-se para um novo biênio. Entre suas realizações destaca-se a criação da Revista Médica do Paraná, que continua até os dias atuais e consolidou-se como uma das principais publicações científicas do Brasil. Também organizou a instalação do CRM-PR.
Sua vida profissional foi igualmente profícua. Nascido em Curitiba, em 1901, formou-se em 1925 pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, passando, em seguida, a lecionar na Faculdade de Medicina do Paraná. Aposentou-se em 1970, recebendo o título de Professor Emérito. Foi diretor-geral do Departamento de Saúde do Estado e secretário de Saúde e Assistência Social, quando participou das negociações que resultaram na criação do Hospital de Clínicas, do qual foi o primeiro diretor-geral.
Chefiou por muitos anos o Serviço de Radiologia da Santa Casa de Misericórdia e foi um dos fundadores da Casa de Saúde São Vicente, cujo Serviço Radiológico também dirigiu por mais de 20 anos. Faleceu em 1977, aos 75 anos. //

José Pereira de Macedo

José Pereira de Macedo assumiu a presidência da Associação Médica do Paraná em 1934, na segunda diretoria da entidade após sua criação. Nascido em 1883, integrou a primeira turma a graduar-se na Faculdade de Medicina do Paraná, em 1919. No mesmo ano, casou-se com a colega Maria Falce, a primeira médica formada pela instituição e a primeira catedrática do Brasil.
Pertenceu ao corpo clínico da Santa Casa no início das atividades profissionais e, de 1921 a 1928, foi diretor do laboratório de Pesquisas e Análises da Saúde Pública do Paraná, tendo participado com a esposa, em 1926, da caracterização epidemiológica do surto de peste bubônica de Paranaguá.
Fez carreira também no magistério e foi médico legista do Gabinete de Medicina Legal por quase 20 anos. Fundou e presidiu diversas entidades assistenciais e foi membro do Instituto Neopitagórico e da Academia Paranaense de Letras, entre outras. Ainda militou ativamente na política estadual, tendo fundado e dirigido o Partido Libertador após a redemocratização de 1945. Faleceu em 1965, poucos dias antes de completar 82 anos.

José Pereira de Macedo

Período

  • 1930
  • 1934 – 1935
  • 1940
  • 1950
  • 1960
  • 1970
  • 1980
  • 1990
  • 2000
  • 2010
  • 2020

Período

  • 1930
  • 1935 - 1936
  • 1940
  • 1950
  • 1960
  • 1970
  • 1980
  • 1990
  • 2000
  • 2010
  • 2020
Francisco Martins Franco

Francisco Martins Franco

Nascido em Curitiba, em 1888, Francisco Martins Franco graduou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1913. Iniciou a carreira na capital paranaense e, de 1915 a 1917, foi assistente da cadeira de Clínica Médica da Faculdade de Medicina do Paraná. Depois de lecionar Clínica Dermatológica e Sifiligráfica, passou a reger interinamente Clínica Propedêutica Médica e foi elevado a catedrático em 1918, cabendo-lhe, em 1932, em função das alterações curriculares decorrentes da reforma do ensino superior realizada no ano anterior, a primeira cadeira de Clínica Médica.
Foi presidente da Associação Médica do Paraná no período de 1935 a 1936. Na Santa Casa de Misericórdia, chefiou a enfermaria Santa Isabel e exerceu a direção clínica da instituição.
Serviu, ainda, como voluntário do Batalhão Revolucionário João Pessoa, no posto de tenente-coronel médico da reserva, voltando mais tarde ao serviço ativo com a direção do Hospital de Guerra Itararé.
Também foi diretor do Departamento de Saúde Pública do Paraná e secretário do Interior e Justiça. Faleceu em Curitiba, aos 51 anos, em 1939.

Miguel José Isaacson

Miguel José Isaacson foi um dos fundadores da Associação Médica do Paraná, em 1933, vice-presidente na segunda diretoria, em 1934 e 1935, e presidente nos períodos de 1936 a 1937 e 1937 a 1938. Anteriormente, presidiu o Sindicato Médico do Paraná e a Sociedade Médica dos Hospitais, que fundiram-se com a Sociedade Paranaense de Medicina para a criação da AMP.
Nasceu na cidade de Mendes (RJ), em 1894, e formou-se em 1915 pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. No ano seguinte, fixou residência em Antonina, no litoral do Paraná, conquistando numerosa clientela, inclusive de municípios vizinhos, como Paranaguá e Morretes, desdobrando-se como único médico durante a epidemia de gripe espanhola, em 1918. Dois anos depois, em 1920, mudou-se para Curitiba, integrando-se ao corpo clínico da Santa Casa.
Fez vários cursos na França e da Alemanha trouxe a vacina Friedmann, então destaque na prevenção e tratamento da tuberculose. Com a inauguração da Maternidade Victor do Amaral, passou a ser chefe do Serviço de Cirurgia. Durante 40 anos, ocupou a cátedra de Ginecologia na Faculdade de Medicina do Paraná. Faleceu em 1963, aos 69 anos.

Miguel José Isaacson

Período

  • 1930
  • 1936 - 1937
  • 1937 - 1938
  • 1940
  • 1950
  • 1960
  • 1970
  • 1980
  • 1990
  • 2000
  • 2010
  • 2020

Período

  • 1930
  • 1938 - 1939
  • 1940
  • 1950
  • 1960
  • 1970
  • 1980
  • 1990
  • 2000
  • 2010
  • 2020
Victor Ferreira do Amaral

Victor Ferreira do Amaral

Victor Ferreira do Amaral nasceu em 1862, na Fazenda Sant´Anna, município da Lapa. Formou-se em 1884, na Imperial Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, prestando juramento na presença do imperador D. Pedro II. Iniciou a carreira profissional no ano seguinte, em Curitiba, especializando-se em Ginecologia e Obstetrícia.
Em 1892, foi eleito deputado estadual e exerceu, nos anos seguintes, o elevado cargo de superintendente do ensino público. Em 1900, tornou-se vice-presidente do estado e foi também diretor-geral da Instrução Pública. Deixou a política para dedicar-se ao sonho de criar uma universidade em Curitiba, concretizando-o em 1912, quando foi fundada a Universidade do Paraná. Anos depois, a instituição foi federalizada, passando a chamar-se Universidade Federal do Paraná, a primeira universidade brasileira. Nela foi professor, diretor da Faculdade de Medicina e o primeiro reitor.
O conceituado médico também fundou, em 1913, a primeira maternidade do estado e foi responsável, em 1930, pela reforma e nova edificação do estabelecimento, que passou a chamar-se Maternidade Victor Ferreira do Amaral. Por mais de 30 anos, prestou serviços na Santa Casa de Misericórdia e foi um dos fundadores de várias associações de classes, entre elas a Associação Médica do Paraná, que presidiu de 1938 a 1939, e a Sociedade Médica dos Hospitais. Faleceu em 1953, aos 90 anos.

Mário Braga de Abreu

Mário Braga de Abreu foi um dos fundadores e duas vezes presidente da Associação Médica do Paraná. Formou-se em Medicina pela Faculdade Nacional do Rio de Janeiro, em 1929, e, ao voltar a Curitiba, sua terra natal, iniciou trabalho na Santa Casa de Misericórdia, onde atuou como cirurgião por 50 anos. Foi o terceiro médico brasileiro a receber a comenda Mérito Cirúrgico São Lucas, concedida pela Fundação para o Progresso da Cirurgia de São Paulo, em 1964, recebendo o apelido de “Bisturi de Ouro”.
Lecionou por mais de quatro décadas na Faculdade de Medicina do Paraná e foi um fundadores do curso de Medicina da PUC-PR, assim como do CRM-PR. Foi, ainda, presidente da regional de Curitiba do Colégio Interamericano de Cirurgiões, membro titular da Société Internationale de Chirurgie e idealizador, fundador e primeiro presidente da Sociedade Médica dos Hospitais da Santa Casa de Curitiba.
Doutor honoris causa da UFPR, colecionou títulos, entre eles o de Cidadão Benemérito do estado e o de membro emérito da ortopedia do Paraná e do Colégio Brasileiro de Cirurgiões. Faleceu em 1981, aos 75 anos.

Mário Braga de Abreu

Período

  • 1930
  • 1939 - 1940
  • 1940
  • 1950
  • 1960
  • 1962 - 1963
  • 1970
  • 1980
  • 1990
  • 2000
  • 2010
  • 2020

Período

  • 1930
  • 1940
  • 1940 - 1941
  • 1950
  • 1960
  • 1970
  • 1980
  • 1990
  • 2000
  • 2010
  • 2020
Aramis Taborda de Athayde

Aramis Taborda de Athayde

Aramis Taborda de Athayde nasceu em Curitiba, em 1900. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Paraná em 1924 e clinicou em Guaíra, no interior do estado, até 1926. No ano seguinte, ingressou no Corpo de Saúde do Exército e iniciou carreira acadêmica, como livre-docente. Foi nomeado assistente de Clínica Propedêutica Médica e conquistou, em 1928, a cátedra da disciplina. No mesmo ano elegeu-se deputado estadual.
Regeu a cadeira de Clínica Médica de 1939 a 1946, ano em que foi eleito deputado federal. No Congresso Nacional, defendeu a federalização da Universidade do Paraná e a obtenção de recursos para a instituição. Sua atuação política sempre foi ligada à área da saúde. Foi secretário de Estado do Interior e Justiça e também da Saúde, tornando-se, em 1954, ministro da Saúde. Foi o primeiro paranaense a ocupar um ministério no período republicano.
Foi presidente da Associação Médica do Paraná de 1940 a 1941. Também presidiu o Hospital da Cruz Vermelha do Paraná e foi vice-presidente da Cruz Vermelha Brasileira. Faleceu aos 70 anos, em 1971.

João Vieira de Alencar

João Vieira de Alencar foi duas vezes presidente da Associação Médica do Paraná, nos biênios 1941 a 1942 e 1948 a 1950. Nascido em Curitiba, em 1905, graduou-se pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1927. No retorno à capital paranaense, construiu carreira como professor catedrático da Universidade Federal do Paraná, onde deu aulas de Clínica Cirúrgica a várias gerações de médicos, sendo, ainda, livre docente em Clínica Ginecológica. Pertencente ao corpo clínico da Santa Casa de Misericórdia, foi chefe da Enfermaria São José.
Participou da fundação e primeira diretoria da Sociedade Médica dos Hospitais, em 1930; da constituição do Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Casas de Saúde em Curitiba (Sindipar), na década de 60, e da Associação dos Hospitais do Estado do Paraná (Ahopar), alguns anos depois, com o objetivo de alcançar mais voz política para a defesa dos interesses do setor hospitalar privado. Na época, representava a Casa de Saúde São Vicente.
Em 1971, tornou-se o primeiro presidente da Unimed Curitiba, cargo que ocupou até 1972. Faleceu em 1984, aos 79 anos. .

João Vieira de Alencar

Período

  • 1930
  • 1940
  • 1941 – 1942
  • 1948 – 1950
  • 1950
  • 1960
  • 1970
  • 1980
  • 1990
  • 2000
  • 2010
  • 2020

Período

  • 1930
  • 1940
  • 1942 – 1943
  • 1950
  • 1960
  • 1970
  • 1980
  • 1990
  • 2000
  • 2010
  • 2020
Victor Ferreira do Amaral Filho

Victor Ferreira do Amaral Filho

Victor Ferreira do Amaral Filho nasceu em 1904, em Curitiba. Filho do fundador e primeiro reitor da Universidade do Paraná, atual UFPR, o conceituado médico Victor Ferreira do Amaral, seguiu a profissão do pai, graduando-se em Medicina, em 1926. Em seguida, viajou para Paris, onde frequentou curso na Clínica Baudelocque e no Hospital Broca, estagiando, ainda, na Clínica Tarnier. De volta à capital paranaense, foi médico da Santa Casa de Misericórdia, responsável pela Enfermaria de Ginecologia; diretor do hospital Oswaldo Cruz e, por 16 anos, chefe da Clínica Obstétrica da Maternidade Victor do Amaral. Professor de Obstetrícia Normal do curso de Enfermagem Obstétrica e de Clínica Obstétrica, da Faculdade de Medicina, também foi chefe do Departamento de Tocoginecologia da UFPR, tendo recebido, em 1974, o título de Professor Emérito. Seguindo os passos do pai igualmente no associativismo, presidiu a Associação Médica do Paraná nos anos de 1942 e 1943. Foi, ainda, sócio-fundador da Associação de Obstetrícia e Ginecologia de Curitiba (Sogipa) e conselheiro do CRM-PR. Faleceu em 1990, aos 86 anos.

Manoel Pereira da Cunha

Manoel Pereira da Cunha integrou a primeira diretoria da Associação Médica do Paraná e, em 1943, tornou-se presidente. Sua história na entidade foi repetida por seu filho e neto, Gastão Pereira da Cunha e Cláudio Leinig Pereira da Cunha, que também foram presidentes da AMP, nas gestões 1966 -1967 e 2002 - 2005, respectivamente.
Nascido no Rio de Janeiro em 1892, ingressou na Faculdade de Medicina daquele estado em 1911, formando-se em 1916. No ano seguinte, trabalhou em Santa Catarina como médico do Núcleo Colonial Rio Branco, onde tornou-se diretor. Nas cidades gêmeas de Rio Negro e Mafra ganhou reputação pela competência.
Mudou-se para Curitiba em 1925, onde também alcançou sucesso profissional. Participou de bancas de concurso na Universidade do Paraná e recebeu muitas homenagens ao longo da vida, entre elas do Lions Club, Associação Cristã Feminina e Associação dos Queimados, além de inúmeras manifestações quando de seu jubileu de ouro na profissão. Faleceu em 1971, aos 79 anos.

Manoel Pereira da Cunha

Período

  • 1930
  • 1940
  • 1943 - 1944
  • 1950
  • 1960
  • 1970
  • 1980
  • 1990
  • 2000
  • 2010
  • 2020

Período

  • 1930
  • 1940
  • 1944 -1945
  • 1950
  • 1960
  • 1970
  • 1980
  • 1990
  • 2000
  • 2010
  • 2020
Joaquim de Matos Barreto

Joaquim de Matos Barreto

Joaquim de Matos Barreto presidiu a Associação Médica do Paraná de 1944 a 1945. Nascido em Curitiba em 1908, concluiu o curso de Medicina em 1932. Iniciou carreira no município de Marechal Mallet e retornou à capital após dois anos, quando foi trabalhar na mina de ouro de Timbituva, em Campo Largo, e no Serviço de Urologia de Loureiro Fernandes. Em 1940, iniciou atividades na Faculdade de Medicina do Paraná e, no ano seguinte, foi aprovado em concurso para catedrático. Além de reger as cadeiras de Histologia e Embriologia Geral, assumiu a Secretaria da instituição. Com a federalização da universidade, foi um dos primeiros docentes a adotar o regime de tempo integral e dedicação exclusiva.
Também foi o primeiro médico a dedicar-se ao estudo específico das doenças do sangue no Paraná. Organizou a Fundação de Assistência ao Trabalhador Rural, foi secretário de Estado da Educação e Cultura e de Saúde Pública. Fez parte, ainda, do grupo que deu origem ao Círculo de Estudos Bandeirantes e à Faculdade Católica de Filosofia, Ciências e Letras, posteriormente integrada à UFPR. Faleceu em 1970, aos 61 anos.

Celso do Amaral Ferreira

Celso do Amaral Ferreira nasceu no município paranaense da Lapa, em 1899. Cursou Medicina em Curitiba e no Rio de Janeiro, onde graduou-se em 1923. Especializou-se em Bordeaux, na França, com o professor George Portmann. Em 1928, foi aprovado em concurso para a cátedra de Otorrinolaringologia da Universidade do Paraná, atuando inicialmente na Santa Casa de Misericórdia de Curitiba e, após, no Hospital de Clínicas. Até então, Otorrinolaringologia e Oftalmologia eram ministradas conjuntamente, como disciplina única.
Orientou a cadeira de Otorrino durante 40 anos, até sua aposentadoria, na décadas de 60. Entre seus assistentes, ilustres médicos da capital paranaense, como Fernando Cordeiro Simas, Leônidas Mocellin e João Cândido Ferreira da Cunha Pereira.
Presidiu a Associação Médica do Paraná de 1945 a 1946.

Celso do Amaral Ferreira

Período

  • 1930
  • 1940
  • 1945 - 1946
  • 1950
  • 1960
  • 1970
  • 1980
  • 1990
  • 2000
  • 2010
  • 2020

Período

  • 1930
  • 1940
  • 1946 – 1947
  • 1950
  • 1960
  • 1970
  • 1980
  • 1990
  • 2000
  • 2010
  • 2020
Homero de Mello Braga

Homero de Mello Braga

Homero de Mello Braga formou-se pela Faculdade de Medicina do Paraná em 1929, especializando-se em Pediatria e Genética Humana. Também trabalhou em Tisiologia e foi professor e diretor do Departamento de Biologia da UFPR. No ensino e na clínica pediátrica, sua carreira profissional adquiriu ainda mais notoriedade.
Organizou o primeiro Banco de Leite Materno do Paraná e construiu, no Hospital de Clínicas, a primeira UTI pediátrica do estado. Também criou os primeiros cursos de residência médica e mestrado em Pediatria. Ao todo, foram mais de 30 anos dedicados à formação de pediatras de todas as regiões do Brasil, pois seus cursos de pós-graduação tornaram-se uma referência de qualidade.
Presidiu a Associação Médica do Paraná no período de 1946 e 1947. Foi, ainda, fundador e presidente da Sociedade Paranaense de Pediatria, presidente da Sociedade Paranaense de Tisiologia e membro da American Academy of Pediatrics, além da Sociedade Brasileira de Genética, Associação Latino-Americana de Genética e American Association for the Advancement os Science. Faleceu em Curitiba, em 1985.

Alô Ticoulat Guimarães

Alô Ticoulat Guimarães nasceu em Curitiba, em 12 de dezembro de 1903, filho do general Theodorico Gonçalves Guimarães e Stella Ticoulat Guimarães. Casou-se com Nazira Surugi e teve dois filhos e cinco netos. Formou-se em Medicina em 1927, na Faculdade de Medicina do Paraná, onde especializou-se em Psiquiatria, tornou-se doutor em Medicina e foi professor catedrático de Clínica Psiquiátrica. Ao longo de sua carreira, acumulou inúmeros cargos de relevância na área da saúde, entre eles a presidência da Associação Médica do Paraná. Foi, ainda, diretor do Gabinete Médico Legal e diretor clínico do Hospital Psiquiátrico Nossa Senhora da Luz e do Hospital Psiquiátrico Espírita do Bom Retiro. Foi prefeito de Curitiba (1945), secretário da Saúde (1948), deputado estadual (1935-1937), deputado federal (1946-1948, 1954-1955 ), senador (1955-1963) e vice-presidente da Comissão de Saúde do Senado Federal. Faleceu em 1985, aos 81 anos.

Alô Ticoulat Guimarães

Período

  • 1930
  • 1940
  • 1947 - 1948
  • 1950
  • 1960
  • 1970
  • 1980
  • 1990
  • 2000
  • 2010
  • 2020

Período

  • 1930
  • 1940
  • 1950
  • 1952 – 1953
  • 1960
  • 1970
  • 1980
  • 1990
  • 2000
  • 2010
  • 2020
Atlântido Borba Côrtes

Atlântido Borba Côrtes

Atlântido Borba Côrtes nasceu em Curitiba, em 1911, e formou-se em Medicina pela Universidade Federal do Paraná em 1934. Pouco tempo depois, tornou-se professor da instituição, onde marcou a vida de gerações de médicos paranaenses, tendo sido homenageado por 17 turmas de formandos, duas delas como patrono. Foi, ainda, diretor de Clínica Médica, diretor da Faculdade de Medicina e vice-reitor da UFPR.
Foi presidente da Associação Médica do Paraná no período de 1952 e 1953, tendo exercido também, por três mandatos, a presidência da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, além de compor o primeiro quadro de conselheiros eleitos para o CRM-PR.
Membro fundador da Academia Paranaense de Medicina e da Sociedade Brasileira de Diabetes, também fundou a Sociedade Paranaense de Tisiologia e Doenças Torácicas. O eminente professor era irmão dos também médico Hélenton Borba Côrtes. Faleceu em 2014, aos 102 anos.

João Ernani Bettega

João Ernani Bettega nasceu em Curitiba, em 1916. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Paraná em 1938 e, desde o início da carreira, interessou-se pela tuberculose pulmonar. Concluiu, dois anos depois, o curso de especialização em Tisiologia e realizou estágio de aperfeiçoamento no Hospital São Luiz Gonzaga, da Santa Casa de São Paulo. De volta à capital paranaense, associou-se ao seu primo João Luiz Bettega e a Homero de Mello Braga, para a instalação do Sanatório São José, em São José dos Pinhais.
Em 1950, foi criada a cátedra de Tisiologia na Faculdade de Medicina e, realizado concurso, classificou-se em primeiro lugar. Logo após, também passou a coordenar as atividades didáticas no Sanatório Médico-Cirúrgico do Portão, da Secretaria de Saúde do Estado, e no Núcleo Profilático Universitário Professor Pereira Filho.
Foi presidente da Associação Médica do Paraná no período de 1954 a 1955. Presidiu, ainda, a Federação Brasileira de Sociedades de Tuberculose, a Liga Paranaense de Combate ao Câncer, foi tesoureiro do CRM-PR e sócio-fundador da Sociedade Paranaense de Tisiologia e Doenças Torácicas. Faleceu aos 76 anos, em 1992.

João Ernani Bettega

Período

  • 1930
  • 1940
  • 1950
  • 1954 – 1955
  • 1960
  • 1970
  • 1980
  • 1990
  • 2000
  • 2010
  • 2020

Período

  • 1930
  • 1940
  • 1950
  • 1956 – 1957
  • 1960
  • 1970
  • 1980
  • 1990
  • 2000
  • 2010
  • 2020
Ernani Simas Alves

Ernani Simas Alves

Ernani Simas Alves foi presidente da Associação Médica do Paraná no período de 1956 a 1957. Quando ocupava o cargo, também foi responsável pela organização da diretoria provisória que efetivou o CRM-PR e iniciou o cadastro dos médicos, sendo eleito conselheiro da primeira gestão eleita.
Formou-se em Medicina pela UFPR em 1938, fez especialização em Cirurgia Geral e em Cirurgia de Guerra, tendo sido nomeado 2º tenente médico da reserva do Exército, no período que precedeu a entrada do Brasil na Segunda Guerra. Seu vasto currículo ainda o coloca como professor catedrático, biógrafo, escritor e dirigente hospitalar.
Foi vice-diretor da Faculdade de Medicina, diretor do Hospital de Clínicas, do Instituto Paranaense de Medicina e do Instituto Médico Legal. Foi, ainda, presidente da Sociedade Paranaense de Psiquiatria e acadêmico titular fundador da Academia Paranaense de Medicina, que também presidiu, entre muitos outros cargos. Faleceu no ano 2000, aos 86 anos, e foi reverenciado nomeando uma vida pública de Curitiba.

Pedro Emílio de Cerqueira Lima Neto

Pedro Emílio de Cerqueira Lima Neto nasceu em Curitiba, em 1918, e seguiu a carreira do pai, formando-se médico em 1939, pela Universidade Federal do Paraná. Ainda como acadêmico, ingressou na Santa Casa de Misericórdia, onde atuou por 41 anos. Foi chefe de Clínica e, com o falecimento de seu grande mestre, professor Mário Braga de Abreu, assumiu o comando do Serviço de Cirurgia.
Na UFPR, foi professor de Clínica Cirúrgica e de Cirurgia Geral. Também foi docente de Clínica Cirúrgica na PUC-PR e, por dez anos, chefiou o Serviço de Cirurgia do Hospital Cajuru, bem como o Serviço de Cirurgia e Traumatologia do Pronto Socorro Municipal, entre outros cargos, como o de coordenador adjunto de Assistência Médica do INPS.
Sua preocupação com o desenvolvimento do espírito associativo foi um traço marcante. Na Associação Médica do Paraná, foi presidente nos anos de 1958 e 1959, após ter exercido várias funções, como a de vice-presidente, secretário-geral, presidente da Assembleia de Delegados, membro da Comissão de Defesa Profissional, delegado junto à AMB e delegado junto à AMP. Exerceu diversos cargos na AMB, que lhe concedeu o título de Sócio Benemérito, e também presidiu a Academia Paranaense de Medicina e o CRM-PR. Faleceu em 1995.

Pedro Emílio de Cerqueira Lima Neto

Período

  • 1930
  • 1940
  • 1950
  • 1958 – 1960
  • 1960
  • 1970
  • 1980
  • 1990
  • 2000
  • 2010
  • 2020

Período

  • 1930
  • 1940
  • 1950
  • 1960
  • 1960 – 1962
  • 1964 - 1965
  • 1970
  • 1980
  • 1990
  • 2000
  • 2010
  • 2020
Lauro Wolff Valente

Lauro Wolff Valente

Lauro Wolff Valente nasceu no município paranaense de São Mateus do Sul, em 1912, e graduou-se em 1935, pela Faculdade de Medicina do Paraná. Sócio-fundador da Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Paraná (Sogipa), foi 1º Tesoureiro na primeira diretoria da entidade, de 1952 a 1953. Atuou como assistente na Faculdade de Medicina da Universidade do Brasil, foi médico no Instituto Nacional de Previdência Social e também integrou o corpo clínico do Hospital São Vicente.
Ocupou o cargo de presidente da Associação Médica do Paraná por dois mandatos: 1960 a 1962 e 1964 a 1965. Antes, porém, já tinha exercido diversas funções na entidade, como a de 3° vice-presidente, delegado, membro da Comissão Eleitoral, duas vezes também, e membro da Comissão para examinar balancetes. Ingressou como associado em janeiro de 1940.
Nos relatórios de suas gestões, constam conferências, cursos de atualização, congressos e jornadas médicas realizadas, entre muitas outras ações, a exemplo de assembleias gerais para debater assuntos relativos a reivindicações dos médicos, como a melhoria de vencimentos aos que prestavam serviços nas repartições públicas estaduais.

Gastão Pereira da Cunha

Gastão Pereira da Cunha foi presidente da Associação Médica do Paraná no período de 1966 a 1967, seguindo os passos do pai, Manoel Pereira da Cunha, que presidiu a entidade entre 1943 e 1944. Também era irmão de médico e foi sucedido por duas gerações de profissionais da Medicina, incluindo o filho, Cláudio Leinig Pereira da Cunha, que igualmente presidiu a AMP (2002 - 2005), e o neto.
Nasceu em 1921 e foi um dos precursores da Cardiologia no Paraná. Formou-se em 1945, pela Universidade Federal do Paraná, recebendo o Prêmio Nilo Cairo, como melhor aluno da turma, e sendo agraciado com uma bolsa de estudos para se especializar. Foi para a Argentina e obteve titulação em Cardiologia. Na UFPR, onde permaneceu por 42 anos e ocupou o cargo de professor titular de Clínica Médica, foi também o responsável pela criação dos cursos de especialização e mestrado em Cardiologia.
Atendeu em instituições como a Santa Casa de Misericórdia e o Hospital de Clínicas, se dedicando à Medicina até seus anos 80 anos. Faleceu em 2009, aos 87.

Gastão Pereira da Cunha

Período

  • 1930
  • 1940
  • 1950
  • 1960
  • 1966 – 1967
  • 1970
  • 1980
  • 1990
  • 2000
  • 2010
  • 2020

Período

  • 1930
  • 1940
  • 1950
  • 1960
  • 1967 - 1969
  • 1970
  • 1980
  • 1990
  • 2000
  • 2010
  • 2020
João Átila Rocha

João Átila Rocha

João Átila Rocha nasceu em Curitiba, em 1917. Formou-se pela Universidade Federal do Paraná em 1939 e, logo após a formatura, foi trabalhar no interior de Santa Catarina. No retorno à capital paranaense, atuou na Enfermaria São Luiz, na Santa Casa. Em 1947, foi nomeado assistente da cadeira de Urologia da UFPR e, em 53, tornou-se livre-docente. No ano seguinte, foi aprovado no concurso para a cátedra de Clínica Urológica, na vaga aberta com a morte do professor Erasto Gaertner. Exerceu o cargo até 1987, quando foi aposentado compulsoriamente, ainda em plena atividade profissional e didática. De 1958 a 1991, também foi titular da disciplina de Urologia da Faculdade de Ciências Médicas da PUC-PR.
Durante sua vida acadêmica, por sua atuação, conseguiu projetar a Urologia do estado no cenário nacional, tendo participado de inúmeros congressos, nacionais e internacionais, e publicado muitos trabalhos. Foi homenageado como patrono, paraninfo e nome de turmas.
Foi presidente da Associação Médica do Paraná entre 1967 e 1969. Também recebeu o título de acadêmico emérito da Academia Paranaense de Medicina.

Manoel Stenghel Cavalcanti

Manoel Stenghel Cavalcanti foi presidente da Associação Médica do Paraná no período de 1969 a 1971. Graduou-se em Medicina aos 20 anos, pela Universidade Federal do Paraná, e especializou-se na França. Na UFPR lecionou por mais de 40 anos, na cadeira de Clínica Cirúrgica, formando vários discípulos e deixando, durante essas décadas, muitos livros e artigos publicados.
Por sua projeção na atividade acadêmica, o Conselho Universitário da instituição, após seu falecimento, outorgou-lhe o título de Professor Emérito, entregue à família em solenidade especial.
Em sua luta pela defesa profissional, também foi vice-presidente da Associação Médica Brasileira (AMB). Um dos idealizadores, em 1971, da Unimed Curitiba e, posteriormente, da Federação das Unimeds, o professor Manoel Cavalcanti foi um dos mais notórios médicos de sua geração. Faleceu aos 88 anos, na capital paranaense.

Manoel Stenghel Cavalcanti

Período

  • 1930
  • 1940
  • 1950
  • 1960
  • 1969 – 1971
  • 1970
  • 1980
  • 1990
  • 2000
  • 2010
  • 2020

Período

  • 1930
  • 1940
  • 1950
  • 1960
  • 1970
  • 1971 – 1973
  • 1980
  • 1990
  • 2000
  • 2010
  • 2020
Arnaldo Moura

Arnaldo Moura

Arnaldo Moura nasceu em 1923, em Franca (SP), e formou-se em 1947, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, então Capital Federal. Radicou-se no Paraná logo depois, tornando-se um dos grandes cardiologistas do estado. Foi presidente da Associação Médica do Paraná entre 1971 e 1973. Anteriormente, já tinha sido vice-presidente, 1º secretário e presidente da seção de Cardiologia da entidade. Foi fundador e primeiro presidente da Sociedade Paranaense de Cardiologia.
Trabalhou por 40 anos na Santa Casa de Misericórdia de Curitiba e na Universidade Federal do Paraná, onde foi professor de Clínica Médica, Clínica Propedêutica, organizador e primeiro chefe da disciplina de Cardiologia e Angiologia. Também foi chefe do Departamento de Clínica Médica, quando participou ativamente da reforma universitária (1971) e organização dos currículos (1974).
Na Santa Casa, teve influência decisiva na implantação da residência médica em Cardiologia, entre outros projetos. Recebeu muitas honrarias, destacando-se o título de Cidadão Honorário do Paraná, em 1975. Faleceu em 1991, aos 68 anos.

Iseu de Santo Elias Affonso da Costa

Iseu de Santo Elias Affonso da Costa formou-se em Medicina em 1950, pela USP. A residência médica também foi em São Paulo, tendo sido o primeiro discípulo do professor Euryclides de Jesus Zerbini. No exterior, aprimorou seus conhecimentos na Escola de Medicina da Universidade de Stanford, na Fundação Alexander von Humboldt, em Dusseldorf, e em Munique. Também foi professor visitante na Universidade da Califórnia, em Irvine.
Foi um dos pioneiros da cirurgia cardíaca no Paraná, fundando, em 1967, o serviço de Cirurgia Cardíaca da Santa Casa de Misericórdia de Curitiba. Com intensa atuação na área médica, foi presidente da Associação Médica do Paraná entre 1973 e 1975, e, ainda, vice-presidente da Associação Médica Brasileira, conselheiro do CRM-PR, vice-presidente da Academia Paranaense de Medicina, conselheiro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular e presidente do Conselho Cultural da Fundação Santos Lima. Faleceu em Curitiba, em 2010, aos 84 anos.

Iseu de Santo Elias Affonso da Costa

Período

  • 1930
  • 1940
  • 1950
  • 1960
  • 1970
  • 1973 – 1975
  • 1980
  • 1990
  • 2000
  • 2010
  • 2020

Período

  • 1930
  • 1940
  • 1950
  • 1960
  • 1970
  • 1975 – 1977
  • 1980
  • 1990
  • 2000
  • 2010
  • 2020
Francisco de Paula Soares Filho

Francisco de Paula Soares Filho

Francisco de Paula Soares Filho nasceu em 1927 e formou-se em Medicina, pela Universidade Federal do Paraná, em 1951. Contemplado com uma bolsa de estudos por premiação acadêmica, especializou-se no Hospital da Universidade do Leste, na cidade de Rosário, na Argentina. Foi livre-docente da cadeira de Oftalmologia da UFPR, tendo integrado o Serviço de Oftalmologia na Santa Casa de Misericórdia de Curitiba, e pioneiro do transplante de córnea no Paraná. Como atividade marcante, exerceu uma função de benemerência nos sertões do estado do Piauí, na década de 60.
Em 2017, com 66 anos dedicadas à Medicina, representou a categoria médica em solenidade na Assembleia Legislativa do Paraná, quando lembrou o período em que presidiu a Associação Médica, de 1975 a 1977. Nesta época, já alertava para a importância da qualidade do ensino nas escolas médicas. Em sua gestão, entre outras ações, foi adquirida a sede campestre da entidade, no município de São José dos Pinhais, e realizadas diversas benfeitorias no espaço.
Antes da presidência, já tinha exercido outros cargos, como o de delegado e membro da Comissão de Finanças. Foi vice-presidente da Associação Paranaense de Oftalmologia e é acadêmico titular fundador da Academia Paranaense de Medicina.

Luiz Fernando Beltrão

Filho do também médico Haroldo Beltrão, Luiz Fernando Beltrão nasceu em Ponta Grossa, em 1933, e formou-se pela UFPR em 1956, tornando-se um dos pioneiros da cirurgia pediátrica no Paraná. Após especialização na França, Rio de Janeiro e São Paulo, atuou no Hospital de Crianças César Pernetta, hoje Hospital Infantil Pequeno Príncipe, onde destacou-se como profissional, atendendo pacientes de todo o estado e influenciando a formação de uma nova geração de cirurgiões pediátricos.
Foi presidente da Associação Médica do Paraná no triênio 1977-1979, mas antes já tinha presidido o Departamento de Puericultura e Pediatria da entidade. Foi, ainda, conselheiro do CRM-PR, acadêmico titular da Academia Paranaense de Medicina, presidente da Associação Brasileira de Cirurgia Pediátrica, diretor do setor de Ciências da Saúde da UFPR e patrono da cadeira 16 da Academia Nacional de Cirurgia Pediátrica. Faleceu em Curitiba, aos 75 anos.

Luiz Fernando Beltrão

Período

  • 1930
  • 1940
  • 1950
  • 1960
  • 1970
  • 1977 - 1979
  • 1980
  • 1990
  • 2000
  • 2010
  • 2020

Período

  • 1930
  • 1940
  • 1950
  • 1960
  • 1970
  • 1979 – 1981
  • 1980
  • 1981 – 1983
  • 1990
  • 2000
  • 2010
  • 2020
Nelson Emilio Marques

Nelson Emilio Marques

Nelson Emilio Marques nasceu no município de Rinópolis, no estado de São Paulo, em 1943. Formou-se em Medicina em 1972, pela Universidade Federal do Paraná. Pediatra, atuou em hospitais, como o Pequeno Príncipe, o maior do Brasil na especialidade.
Presidiu a Associação Médica do Paraná por duas vezes, de 1979 a 1981 e de 1981 a 1983. Era associado da entidade desde 1973. Em sua primeira gestão, foram comprados três lotes destinados à construção da atual sede social, no bairro Água Verde. Nessa época, a AMP fez um convênio com o então Instituto Nacional de Previdência Social, o INPS, ficando responsável pelo repasse das verbas do Funrural, um fundo voltado para a contribuição social, e recebendo, em contrapartida, parte do valor. Idêntico acordo já tinha sido feito pela Associação Médica do Rio Grande do Sul.
Os recursos recebidos foram usados na obra para erguer a sede, que abriga até hoje a entidade. A inauguração ocorreu em 26 de agosto de 1983. Nelson Emilio Marques faleceu em 1997.

José Pedro Pagani

José Pedro Pagani nasceu em Santa Catarina. Filho de pais humildes, teve dificuldades para estudar. Trabalhou como bancário e foi acadêmico médico interno, fazendo, após formado, residência em Urologia no Rio de Janeiro. Lecionou na Faculdade Evangélica de Medicina do Paraná por diversos anos e sua filosofia de vida, em razão das experiências adquiridas, sempre foi calcada na solidariedade e filantropia. Atendia gratuitamente pacientes sem recursos. Este comportamento humanitário o transformou em líder e o fez ser reconhecido para chefiar, durante toda a vida profissional, o Serviço de Urologia do Hospital Evangélico de Curitiba.
Foi presidente da Associação Médica do Paraná de 1983 a 1985, onde já tinha atuado como secretário-geral, no período de construção da atual sede da entidade. Também foi um dos responsáveis pela criação da cooperativa de crédito Unicred, o que demonstrava sua preocupação em oferecer benefícios à classe. Presidiu, ainda, a Sociedade Brasileira de Urologia – Seccional do Paraná e trabalhou com mestres como Erasto Gaertner e Dante Luiz no antigo Instituto de Medicina e Cirurgia do Paraná. Faleceu em 2000, aos 63 anos.

José Pedro Pagani

Período

  • 1930
  • 1940
  • 1950
  • 1960
  • 1970
  • 1980
  • 1983 - 1985
  • 1990
  • 2000
  • 2010
  • 2020

Período

  • 1930
  • 1940
  • 1950
  • 1960
  • 1970
  • 1980
  • 1985 – 1987
  • 1990
  • 2000
  • 2010
  • 2020
Antônio Celso Nunes Nassif

Antônio Celso Nunes Nassif

Antônio Celso Nunes Nassif nasceu em Jaú (SP), em 1934.Formou-se em 1958, pela UFPR, onde também concluiu mestrado e doutorado em Clínica Cirúrgica. Na mesma instituição, foi professor adjunto e livre docente de Otorrinolaringologia e médico do Hospital de Clínicas. Presidente da Associação Médica do Paraná de 1985 a 1987, também foi presidente da AMB, de 1987 a 1991 e de 1995 a 1999. Em todas as gestões, a valorização profissional do médico e a necessária qualidade das escolas de Medicina estavam entre seus principais objetivos, esforços reconhecidos pela classe médica. Foi criador das tabelas de honorários médicos e um dos idealizadores do Sinam, o Sistema Nacional de Atendimento Médico. Foi, ainda, fundador e presidente da Sociedade Paranaense de Otorrinolaringologia e vice-presidente da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia.
Recebeu inúmeras homenagens, entre elas o título de Cidadão Honorário de Curitiba, outorgado pela Câmara Municipal; os diplomas de Honra ao Mérito, pela UFPR, e de Oficial da Ordem do Mérito Nacional, além da Gran Cruz e medalha do Mérito da República Federativa do Brasil e Secretaria da Saúde de São Paulo.

José Elias Aiex Neto

Nascido no município paranaense de Sertanópolis, em 1952, José Elias Aiex Neto formou-se médico em 1975, pela Universidade Federal do Paraná, e especializou-se em Psiquiatria. Reside em Foz do Iguaçu desde 1991, onde atua no serviço público há mais de 25 anos, admitido por meio de dois concursos, e tem ampla atuação na área de saúde mental.
Foi secretário municipal de Saúde e secretário municipal Antidrogas e um dos fundadores do Centro de Direitos Humanos de Foz do Iguaçu, onde ocupou a presidência e exerce a função de conselheiro fiscal. É vice-presidente do Conselho Municipal de Saúde, que também presidiu.
Presidente da Associação Médica do Paraná de 1987 a 1989, já tinha ocupado anteriormente outros cargos na entidade, como o de vice-presidente e membro do Conselho Fiscal. Foi, ainda, presidente da Associação Médica de Cascavel e da Academia de Cultura de Foz do Iguaçu, da qual foi membro fundador. Venceu concursos literários e participou de inúmeros eventos científicos, entre congressos, fóruns e conferências, com vários trabalhos apresentados.

José Elias Aiex Neto

Período

  • 1930
  • 1940
  • 1950
  • 1960
  • 1970
  • 1980
  • 1987 – 1989
  • 1990
  • 2000
  • 2010
  • 2020

Período

  • 1930
  • 1940
  • 1950
  • 1960
  • 1970
  • 1980
  • 1990
  • 1990 - 1991
  • 2000
  • 2010
  • 2020
Renato Merolli

Renato Merolli

Formado em Medicina pela Universidade Federal do Paraná, em 1962, Renato Merolli foi presidente da Associação Médica do Paraná na gestão 1990 a 1991, depois de ocupar outras funções diretoras. Especialista em hemoterapia, em 1972 ele fundou o Instituto Paranaense de Hemoterapia e Hematologia, o Hemobanco, que em poucos anos se transformou no maior banco de sangue de Curitiba.
Além da atuação como médico, inclusive no serviço público, como dirigente hospitalar foi um dos fundadores da Fehospar (Federação dos Hospitais e Estabelecimentos de Serviços de Saúde no Estado do Paraná), em agosto de 1991, instituição dirige há quase uma década. Também foi presidente do Sindipar e da Ahopar (Associação dos Hospitais do Paraná), ocupando ainda a vice-presidência e depois da presidência da CNSaude (Confederação Nacional de Saúde).
Ocupou a vice-presidência do Conselho Estadual de Saúde do Paraná. Casado com D. Maribel, tem cinco filhos, dois deles médicos. Em 2012, foi homenageado pelo CRM-PR, que lhe conferiu o Diploma de Mérito Ético-Profissional pelos 50 anos dedicados à profissão de forma exemplar.

José Fernando Macedo

José Fernando Macedo graduou-se em Medicina pela Faculdade Evangélica do Paraná em 1977. Fez residência no Hospital Evangélico de Curitiba e pós-graduação na USP. É mestre e doutor em Cirurgia pela UFPR e membro titular do Colégio Brasileiro de Cirurgiões. Integrou o corpo clínico do Instituto de Previdência do Estado e faz parte das equipes dos principais hospitais da capital. Foi, ainda, superintendente do Serviço de Assistência ao Servidor Público do Paraná (SAS).
Presidente da Associação Médica do Paraná por quatro gestões, ocupou, desde 1986, diversos cargos na entidade, como os de vice-presidente e diretor Científico e Cultural, respondendo, hoje, pela Tesouraria. Entre suas ações, estão a compra de terreno para implantação da Casa de Apoio ao Médico, reforma geral da sede, compra de sete flats em Curitiba, em setembro de 1993, para uso dos associados do interior, e melhorias na chácara da AMP, mais tarde comercializada para que fosse adquirido o prédio ao lado da sede. Esse imóvel abriga a Ucamp, da qual é presidente, e diversas sociedades de especialidades.
Também presidiu a Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular e, por cinco gestões, a regional da entidade. Foi presidente da Academia Paranaense de Medicina, da qual é membro titular, e vice-presidente da AMB, onde também atuou como diretor Científico. Foi um dos criadores do Sinam e já recebeu diversas honrarias, como o título de Vulto Emérito de Curitiba.

José Fernando Macedo

Período

  • 1930
  • 1940
  • 1950
  • 1960
  • 1970
  • 1980
  • 1990
  • 1991 - 1993
  • 1993 - 1995
  • 2000
  • 2005 - 2008
  • 2008 - 2011
  • 2010
  • 2020

Período

  • 1930
  • 1940
  • 1950
  • 1960
  • 1970
  • 1980
  • 1990
  • 1995 – 1997
  • 2000
  • 2010
  • 2020
João Carlos Simões

João Carlos Simões

João Carlos Simões formou-se em Medicina pela Universidade Federal do Paraná em 1972. É mestre e doutor pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, da USP, e professor titular de Oncologia da Faculdade Evangélica Mackenzie do Paraná.
Foi presidente da Associação Médica do Paraná no período de 1995 a 1997, quando, entre outras ações, implantou o Programa Caminhando Juntos, voltado a crianças carentes, que permanece até os dias atuais. Entidades são beneficiadas com a realização de reformas e compra de equipamentos, além de cestas básicas, fraldas descartáveis e materiais de limpeza e higiene. Ainda em sua gestão, foi realizada reforma na Casa de Apoio ao Médico e melhorias na infraestrutura de eventos e na sede campestre.
Editor Honorário da Journal of Medical Resident Research, do Cremesp, também foi presidente da regional da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores. É membro emérito da Sociedade Brasileira de Cancerologia e membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Oncológica (SBCO) e da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC).

Ronaldo da Rocha Loures Bueno

Graduado em Medicina pela PUC-PR em 1980, Ronaldo da Rocha Loures Bueno especialiozu-se em Hemodinâmica e Cineangiocardiografia pelo Serviço do Professor Zerbini, no Hospital da Beneficência Portuguesa, e em Cardiologia pela Sociedade Brasileira de Cardiologia. Ingressou na vida acadêmica em 1994, na UFPR, onde atualmente é professor do curso de pós-graduação em Medicina Interna e do programa de residência do Hospital de Clínicas. Mestre e doutor em Cardiologia, é chefe do Serviço de Hemodinâmica do HC desde 1995. Em 2003, iniciou no Canadá pesquisas no Experimental Interventional Laboratory do Montreal Heart Institute, onde desenvolveu sua tese de pós-doutorado.
Assumiu a presidência da Associação Médica do Paraná em 1997, após ter exercido diversos cargos na entidade, onde permanece como membro do Conselho Consultivo. Pela AMP, integrou os Conselhos das Secretarias de Saúde de Curitiba e do Paraná, participando ativamente da implantação do SUS. Também destacou-se pela implementação do Sinam no estado. Foi, ainda, vice-presidente da AMB em duas gestões, lutando contra a criação indiscriminada de escolas médicas. É membro de diversas entidades científicas nacionais e internacionais e Fellow da Society for Cardiac Angiography and Interventions – SCAI (USA).

Ronaldo da Rocha Loures Bueno

Período

  • 1930
  • 1940
  • 1950
  • 1960
  • 1970
  • 1980
  • 1990
  • 1997 - 1999
  • 2000
  • 2010
  • 2020

Período

  • 1930
  • 1940
  • 1950
  • 1960
  • 1970
  • 1980
  • 1990
  • 1999 – 2002
  • 2000
  • 2010
  • 2020
Jurandir Marcondes Ribas Filho

Jurandir Marcondes Ribas Filho

Presidente da Associação Médica do Paraná no triênio 1999 – 2002, Jurandir Marcondes Ribas Filho graduou-se em Medicina em 1977, pela Faculdade Evangélica do Paraná. Fez residência médica em Cirurgia Geral, mestrado em Morfologia e Clínica Cirúrgica, pela UFPR, e doutorado em Clínica Cirúrgica, pela mesma instituição. Fellow do International College of Surgeons, é especialista em Cirurgia Geral, em Cirurgia do Aparelho Digestivo e em Administração Hospitalar.
Professor titular da Faculdade Evangélica Mackenzie do Paraná, tem mais de 230 artigos publicados em periódicos e 36 livros e capítulos de livros editados. É, ainda, secretário-geral e membro titular da Academia Paranaense de Medicina, do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva e membro emérito do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, tendo exercido também, entre muitas outras funções, as de vice-presidente Centro Sul da AMB, consultor da Capes e conselheiro do CRM-PR.
Recebeu inúmeras homenagens, com destaque para a menção honrosa pelos relevantes serviços prestados na área da saúde, outorgada pela Assembleia Legislativa do estado, e o título de Vulto Emérito de Curitiba, pela Câmara Municipal.

Cláudio Leinig Pereira da Cunha

Formado pela UFPR em 1974, Cláudio Leinig Pereira da Cunha fez residência em Clínica Médica no Hospital de Clínicas da instituição e cursou mestrado em Cardiologia. Na UFRJ, concluiu o doutorado em Cardiologia e, na Mayo Clinic (EUA), o Research Fellowship em Doenças Cardiovasculares. Foi professor assistente, adjunto e titular de Cardiologia, exercendo, ainda, diversos outros cargos na UFPR, como a chefia do Departamento de Clínica Médica e do Serviço de Cardiologia do HC, além da coordenação dos cursos de especialização e mestrado em Cardiologia.
Presidiu a Associação Médica do Paraná entre 2002 e 2005, seguindo os passos do pai, Gastão Pereira da Cunha, que dirigiu a entidade de 1966 a 1967. Anteriormente, foi vice-presidente e presidente da Assembleia de Delegados da AMP. Foi, ainda, presidente da Sociedade Paranaense de Cardiologia e vice-presidente do Departamento de Ecocardiografia da Sociedade Brasileira de Cardiologia. É acadêmico titular da Academia Paranaense de Medicina.

Cláudio Leinig Pereira da Cunha

Período

  • 1930
  • 1940
  • 1950
  • 1960
  • 1970
  • 1980
  • 1990
  • 2000
  • 2002 – 2005
  • 2010
  • 2020

Período

  • 1930
  • 1940
  • 1950
  • 1960
  • 1970
  • 1980
  • 1990
  • 2000
  • 2010
  • 2011 - 2016
  • 2020
João Carlos Gonçalves Baracho

João Carlos Gonçalves Baracho

Nascido em Santa Catarina d´Oeste, em Santa Catarina, João Carlos Gonçalves Baracho graduou-se pela UFPR em 1984. Fez residência em Clínica Médica e especializou-se em Saúde Pública e Geriatria e Gerontologia. É especialista pela Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia.
Médico contratado pela prefeitura de Curitiba em 1987, exerceu vários cargos na Secretaria Municipal da Saúde, incluindo diretorias de Atenção Secundária à Saúde e de Planejamento, além de participação no grupo de trabalho para implantação da Política Municipal de Saúde do Idoso. Foi secretário municipal da Saúde da capital de 1995 a 1998 e novamente em 2017.
Na Associação Médica do Paraná, foi diretor de Assuntos Comunitários, vice-presidente, presidente de 2011 a 2016 e, atualmente, é secretário-geral. Durante suas gestões, foi efetivada a venda da chácara da AMP e adquirido prédio anexo à sede, renovada a logomarca da entidade e criada a Universidade Corporativa da AMP (Ucamp). O Sinam passou por total atualização organizacional e foi fortalecida a política de constante contato com as regionais. E, ainda, realizada a catalogação e higienização das peças que hoje compõem o acervo do Museu da História da Medicina do Paraná, entre outras ações.

Nerlan Tadeu Gonçalves de Carvalho

Formado em Medicina pela UFPR em 1976, Nerlan Tadeu Gonçalves de Carvalho fez residência em Cirurgia Cardiovascular no Hospital Evangélico de Curitiba e especialização no Hospital de Clínicas da USP. Foi presidente da regional da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV-PR) nas gestões 1988-1989, 1998-1999 e 2008-2009.
Na Associação Médica do Paraná, foi tesoureiro, secretário, 1º vice-presidente e presidente interino. Em outubro de 2017, foi eleito presidente para o triênio até 2020. Foi um dos criadores da Universidade Corporativa da AMP (Ucamp), da qual é diretor financeiro, além de contribuir como conteudista. Ainda em 2017, deu início à discussão sobre a judicialização na área da saúde, o que proporciona grande economia de recursos.
Suas principais realizações na AMP foram a transformação da gestão em formato empresarial, a exploração comercial do Centro de Eventos, ampliação da área de exposições, criação da plataforma EduMedica de ensino a distância, instituição do AMP Prev, benefício de previdência complementar aos associados, e o Museu da História da Medicina do Paraná, que abriu suas portas em janeiro de 2019.

Nerlan Tadeu Gonçalves de Carvalho

Período

  • 1930
  • 1940
  • 1950
  • 1960
  • 1970
  • 1980
  • 1990
  • 2000
  • 2010
  • 2016 - 2020
  • 2020
  • 2020 - Atual